EISE 1ª Geração de Service Thinkers

Quando me juntei à EISE (Escola de Inovação em Serviços ) em 2013 a 1ª Geração de Service Thinkers estava na metade de sua Jornada.

Tive a oportunidade de conviver mais com uns do que com outros e acompanhei os 6 meses finais desta turma compartilhando módulos, tutorias e muitos cafés! 

Em 13 Julho de 2013 os 4 grupos de Service Explorers apresentaram seus pitchs e projetos para um board formado por designers, advogados e geeks conectados com o mundo de investimento em startups. 

Vejam ai no que deu..

 

 

 

 

 

 

 

 

 

As fotos estão no meu flickr ( é! eu ainda uso )

Com muitas cores e alta resolução.

e em branco e preto imortal

Flash is sucks eu sei! 
Com iphone e ipad clique aqui 
https://www.flickr.com/photos/adilsonchicoria/sets/72157638957351704/

Gostou tanto que queria ter um Photo Book de Capa Dura, formato paisagem com impressão de alta qualidade em papel brilhante e cheiroso?

Eu ainda não comprei o livro no Blurb mas gostaria de vê-lo impresso!

Link direto para o amazing Photo Book no Blurb
 http://www.blurb.com/b/5012719-eise-1a-geracao-de-service-thinkers

Se estiver desesperado para compartilhar as fotos no facebook, não se preocupe, elas já estão todas lá em nos meu álbuns:

Colorido no Facebook

https://www.facebook.com/adilsonchicoria/media_set?set=a.597241716962795.1073741833.100000309157452&type=3

Branco e Preto Imortal no Facebook
https://www.facebook.com/adilsonchicoria/media_set?set=a.678025315551101.1073741841.100000309157452&type=3

Por que ? 

Bom, como diria um tal de Phillippe Petit : " There is no why ! " .

Só seguindo meu drive DIY-ao-menos-uma-vez!  

Escola de Inovação em Serviços - EISE. Por que não Curso, Pós ou ainda MBA ?

Atendo-me à partícula Escola (estamos no começo do ano ainda e muito por vir sobre Design, Inovação e Serviços) ) fiz uma consulta rápida ao dicionário listei as definições para Escola em português.

escola |ó|
s. f.

  1. Estabelecimento de ensino.
  2. Conjunto formado pelo professor e pelos discípulos.
  3. Os professores.
  4. Os discípulos.
  5. Doutrina, sistema.
  6. Seita.
  7. Aprendizagem, ensino, tirocínio.
  8. Método e estilo de um autor, de um artista.
  9. Processos seguidos pelos grandes mestres.

Reli o manifesto da EISE e me pareceu que a definição acima não alcança o que abstraí. Tornei então à uma definição em inglês http://www.thefreedictionary.com/school:

Correndo a leitura em diagonal parei nesta - dentre várias outras não menos ricas:

a. A group of people, especially philosophers, artists, or writers, whose thought, work, or style demonstrates a common origin or influence or unifying belief: the school of Aristotle; the Venetian school of painters.

Meio cult não!? E ainda cita um pensador(wow!).  Mas o que me deteve nesta definição e me viera à mente foram as percepções que tive em volta da fogueira - o tal do campfire -  do qual participei com os service explorers (isso mesmo, começando com uma auto-exploração com uma Probe  que lhe exigirá momentos de reflexão intensos sobre sua vida - passado, presente e futuro!) da primeira geração da Jornada de Inovação em Serviços no campfire Open School.

Nesta conversa aberta pude sabatinar estas pessoas - ali mesmo, dentro da escola. Queria saber como Designers de Produto, Designers Gráficos, Advogados, Psicólogos, Engenheiros, Jornalistas, Profissionais de Marketing dentre outros profissionais vieram parar ali e por que? Como estavam sendo suas experiências (boas e ruins) e o que viam em seu futuro?

Apesar das origens profissionais distintas o que me pareceu ressoar entre suas experiências pré-EISE foi a sensação de insatisfação. Não a de um matuto que não obteve o que queria, mas aquela que no faz emergir em meio à mediocridade geral instalada. Principalmente aquela que tem começo em nós mesmos e que vemos impregnada nas relações pessoais, de trabalho e de consumo.

Além deste inconformismo esta escola tem a influência de pessoas como o Tennyson Pinheiro e Luis Alt (seus fundadores) os quais há alguns anos encabeçam a crença na mudança pelo design. E ainda, ela arregimenta ou melhor atraí - por sua massa densa e não homogênea - outros service thinkers que atentam contra a estagnação mental de quem lá se propuser a explorar.

Já mesmo durante o campfire nos tornamos exploradores, pois aqui a definição professor e discípulo não se aplica. As trocas começam ali, com sua própria história e experiência se entrelaçando à dos outros em meio aos estalidos de nossas mentes crepitantes.

Foi impossível não aderir a segunda geração da jornada que iniciou-se esta semana.

Após auto-explorar-me por muitos dias refletindo minha vida em  fotos, fatos, desenhos e textos ; explorar a EISE em um vai-e-vem de informações e explorar as mentes dos participantes da primeira jornada; - Cá estou eu! 

eise-key.jpg

Cartão de acesso para a EISE e para um novo mundo!

Pela minha experiência até aqui só posso dizer que está bem diferente dos cursos e MBA que já contatei e visitei por aí.

Como já está sendo uma ano cheio de mudanças novos posts virão sobre minha experiência na Jornada de Inovação em Serviços da Escola de Inovação em Serviços.

Segue um vídeo introdutório com a proposta da EISE pelo seus fundadores.

What is a #startup? (#visualthinking way) by #leanstartup