Por quê simplesmente adotamos o padrão quando podemos conectar com nossa história?

Investir nos detalhes, procurar as conexões e contar a história.

No vídeo abaixo poderia ser simplesmente aquela animação de loading que está em todo lugar e que faz parte do nosso dia-a-dia.

Na IBM Design Language essa animação de carregamento referencia e reverencia - nos detalhes - a história da IBM.


IBM 729 MAGNETIC TAPE UNIT

The rhythmic oscillations of tape reels in motion got us thinking about a user’s waiting experience. If a user watches search results load, showing the machine at work relays a sense of efficiency. The swift and even balance of the spinning circles indicates that progress is being made.
 

Tradução mais que livre:

O ritmo das oscilações dos carretéis de fitas em movimento nos leva a pensar na experiência de uma usuário esperando. Quando o usuário está navegando em nossa experiência por meio de nosso produto se ele está fazendo uma busca e ele observa os resultados carregarem, se mostramos a ele "a máquina trabalhando" ele tem um senso de eficiência. A reversão rápida e mesmo o equilíbrio dos giros indicam que a busca está progredindo.


Não é óbvio até o momento que ouvimos e vemos. No quantum seguinte é a sensação de "'é claro que deveria ser assim! ".

Quem valoriza processos geralmente pensa no trabalho humano para chegar na idéia e a executar este tipo storytelling e balança a cabeça em satisfação.

#IBMDesign 

Confira as animações que contam a história da IBM acessando o link

http://ibm.com/design/language/framework/animation/fundamentals

 

Comment